Encontre seu profissional

Baby Blues e Depressão pós-parto: qual a diferença?

8 de janeiro de 2019
Baby Blues e Depressão pós-parto: qual a diferença?

A gestação e o parto são duas das mais importantes experiência da vida de uma mulher. Rodeados de expectativas e desejos, são períodos de intensas mudanças físicas e psicológicas para a futura mãe. Diante dessas transformações, muitas mulheres enfrentam um problema sério: a depressão pós-parto.

Contudo, o que poucas mães sabem é que após o parto, existe uma condição psicológica que pode ser confundida com depressão, mas não é. Estamos falando do baby blues.

Baby blues não é depressão pós-parto

Logo após o nascimento do bebê, os hormônios aumentam a intensidade das emoções da mãe, podendo causar um sentimento de tristeza e melancolia. Ou seja, toda essa bagunça emocional é provocada pelas profundas transformações advindas do novo ciclo: nova rotina, mudanças físicas, maternidade e anseios à respeito do futuro. 

Dessa forma, esse período de humor inconstante é definido como baby blues, também conhecido como depressão materna. Os principais indicativos dessa condição são os seguintes:

  • Maior sensibilidade emocional;
  • Constante vontade de chorar;
  • Comentários auto-depreciativos;
  • Insegurança;
  • Impaciência;
  • Ansiedade;
  • Insônia;
  • Mudança brusca de humor.

Já na depressão pós-parto, verificamos outras peculiaridades, como melancolia intensa e desmotivação com a vida e a nova rotina. Além disso, nesse quadro depressivo, a mãe interage menos com a criança e apresenta sintomas clássicos da condição depressiva.

VEJA TAMBÉM: O QUE É PRECISO ENTENDER DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO

Baby blues também precisa de ajuda profissional

É importante reforçar que, como o baby blues é causado por hormônios, não tem como evitá-lo. Explicando melhor: ele se assemelha a tensão pré-menstrual – algumas mulheres apresentam vários sintomas, e outras não necessariamente.

Contudo, mesmo assim, o acompanhamento profissional é essencial para resolver a complicação e evitar maiores traumas. Para as mães, é recomendado atitudes como:

  • Expor os sentimentos;
  • Manter uma dieta balanceada;
  • Quando necessário, não hesitar em procurar ajuda;
  • Não se cobrar demais;
  • Lembrar que não está sozinha.

O IMPI possui especialistas em diversas áreas como psicologia, psiquiatria, psicopedagogia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e nutrição. Dessa forma, agende uma consulta e supere os problemas pós-parto com o devido apoio.

Postado em Blog, Página Inicial