Encontre seu profissional

Depressão e Suicídio: veja os indícios em comum

4 de outubro de 2018

Muito se fala sobre a relação entre depressão e suicídio em uma sociedade cada vez mais carente e que está ficando doente com o mal do século XXI. Os números trazem um cenário preocupante.

Mais de 320 milhões de pessoas sofrem com o problema em todo mundo, quase 20% a mais do que nos últimos dez anos, representando 4,4% de toda a população do planeta. Não foi contado a quantidade de pessoas quem tem a depressão, mas não recorreram a um tratamento para tal.

Só no Brasil, cerca de 5,8%, ou quase 12 milhões de habitantes, o tamanho de uma cidade como São Paulo, sofrem de depressão. E dentro destes dados, só no mundo, cerca de 800 mil mortes por ano são por suicídio, principalmente entre jovens de 15 a 29 anos, sendo a segunda principal causa de mortes nesta faixa etária.

Talvez a pergunta mesmo deva ser: a depressão leva ao suicídio? A resposta é: por mais que possam parecer que sejam iguais, isso não quer dizer que um leva ao outro. Vamos explicar agora o porquê disso e os indícios que possuem em comum.

 

Indícios em comum

 

Para entendermos a relação entre um e outro, devemos primeiro identificar quais os indícios de um e de outro. Vamos começar pela depressão. Os sinais são:

  • Ausência de alegria;
  • Alto quadro de tristeza que permanece por um tempo excessivo;
  • Fortes traumas psicológicos;
  • Rejeição da própria pessoa;
  • Perda do interesse pela vida e pelas coisas, etc.

 

Os indícios do suicídio são:

  • Falar e pensar constantemente sobre a morte;
  • Perder o interesse por coisas que gostava de forma repentina;
  • Visitar conhecidos, amigos ou familiares para “se despedir”;
  • Traumas psicológicos graves;
  • Situações existenciais que desestimulam a viver com as pessoas.

 

Após saber os indícios de um e de outro, é possível comparar e ver que um está relacionado ao outro. Mesmo assim, não quer dizer que o paciente que sofra de depressão necessariamente cometerá suicídio. O caminho é um pouco mais longo e envolve qual o tipo de depressão que a pessoa está passando.

 

Quando depressão pode acabar em suicídio?

 

A resposta deste caso é até simples. Nos tipos leve e moderada de depressão, a pessoa tem suas crises depressivas que passam em alguns dias, com a ajuda de um psicoterapeuta e de medicação.

Porém, quando a depressão avançou para um estágio mais grave, o risco de a pessoa recorrer ao suicídio é enorme. Não porque essa seja a vontade da pessoa, mas acredita que essa atitude ajudará a aliviar a sua dor em definitivo.
Por isso, é muito sério quando tratamos deste assunto.

 

Indivíduos que estejam em quadros de depressão grave devem receber toda a ajuda psicológica e emocional de amigos e parentes, através de pequenas atitudes, simples para quem faz, mas que pode significar a distância entre viver ou tirar a própria vida.

 

Se você conhece alguém que esteja passando pela depressão, não despreze a situação! Incentive para que possa encontrar ajuda psicológica. Conte com o IMPI para encontrar o profissional mais perto de você e, assim, você pode salvar a vida de alguém.

Postado em Blog, Página Inicial