Encontre seu profissional

Estresse X Depressão: cuidado com essa linha fina

27 de setembro de 2018
cuidado com o estresse

Elas são invisíveis, graduais e podem agir individualmente ou em conjunto, de mãos dadas. Quando o estresse e a depressão se misturam é preciso acionar o sinal de alerta para que os seus sintomas não afetem a sua saúde e nem causem problemas como: gastrite, infarto ou até mesmo o câncer.

Para evitar a atuação de ambos, procure ficar atento aos sinais e, caso se identifique com a maioria deles ou tenha alguma dúvida a respeito, procure a ajuda de um psicólogo em Brasília, por meio do IMPI (Instituto de Medicina e Psicologia Integradas).

Quando se trata de estresse

De repente o que antes lhe dava satisfação começa a perder o sentido. O que parecia fácil de ser feito no dia a dia se torna a coisa mais complicada a fazer e a pessoa passa a se sentir sobrecarregada e por tabela, fadigada.

O pior disso tudo é que ela age no automático e encara a frequência desses sintomas como algo natural, sem se dar conta de que seria preciso “filtrar” suas ações e parar para pensar sobre o que de fato é prioridade, ou seja, rever a sua rotina. Daí para o surgimento de algumas doenças (citadas anteriormente) é um passo.

Para evitar que isso aconteça, ao sentir que a sua vida diária está mais tumultuada e corrida, por exemplo, que tal adotar alguns pequenos hábitos, que podem fazer a diferença?

– Evite o uso excessivo do celular: estudos como o que foi publicado pela revista científica BMC Public Health, acompanhando 4156 jovens, de 20 a 24 anos de idade, por um ano, constataram que os exageros no tempo de uso do aparelho, somados às expectativas e obrigações de “ter que” responder as mensagens, sejam por motivos pessoais ou de trabalho, levavam a incidências maiores nos níveis de estresse. Portanto, procure usar o celular com moderação e não ficar tanto tempo conectado, principalmente antes de dormir.

– Alimente-se de forma balanceada: consumir gorduras, carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais de forma balanceada causa mais bem-estar ao organismo. Procure não abusar do café, açúcar e sal.

– Durma bem: manter-se estressado é como se fosse uma agressão para o organismo, por isso dormir bem é uma forma de se recuperar do ocorrido, além de ajudar a pessoa a ter mais atenção e reflexos.

– Pratique exercícios: entre outros benefícios como a boa forma e a liberação dos hormônios que otimizam o rendimento do corpo, a prática de atividades físicas ajuda a pessoa a desviar-se do foco do problema, a relaxar e a alimentar pensamentos positivos, ligados a “estou fazendo algo de bom por mim”.

Cuide-se, caso a depressão apareça

Infelizmente as pessoas só se dão conta do grau do estresse ou da depressão causada por ele, quando as nossas defesas imunológicas diminuem e as doenças aparecem.

Por isso, fique atento a esses sintomas, se eles forem constantes:

– Exaustão ou fadiga;
– Dificuldades de concentração e muita irritabilidade;
– Vontade frequente de querer fugir de tudo;
– Hipersensibilidade emocional;
– Confusões mentais;
– Entre outros fatores (similares ao estresse).

Geralmente essas características aparecem depois de situações ligadas à exigência de adaptação a algum lugar, situação ou estresse vivido com alguém, e isso ultrapassa os limites do indivíduo, demandando-lhe mais do que ele pode suportar.

Ao invés de tentar resolver tudo sozinho, o ideal nesses casos é a pessoa procure a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra, para que os sintomas sejam tratados e ela possa retomar a sua rotina, de maneira saudável e mais leve.

Fontes: IPCS, Folha de S.Paulo e Minha Vida

Postado em Sem categoria