Encontre seu profissional

Psicopedagogia e Autismo: uma opção de tratamento

22 de abril de 2019
Psicopedagoga ensinando de forma lúdica um menino com autismo.

Quando falamos em autismo, a primeira associação que fazemos são com os profissionais de psicologia, fonoaudiologia e os de terapia ocupacional. Contudo, existe mais uma especialidade que desempenha um papel essencial no tratamento do Transtorno do Espectro Autista (TEA): a psicopedagogia. Afinal, as habilidades acadêmicas sofrem impactos do TEA e atrapalham a criança no ambiente escolar.

Nesse cenário, a psicopedagogo infantil tem o papel de avaliar, investigar e identificar dificuldades da criança. Dessa forma, será possível realizar a intervenção para solucionar essas dificuldades e aumentar o repertório do paciente. As principais complicações de pessoas com TEA são justamente as barreiras comportamentais, como dificuldade de comunicação, ecolalia, estereotipia e comportamentos de fuga.

VEJA TAMBÉM:

PSICOMOTRICIDADE: COMO ELA PODE AJUDAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL
NUTRIÇÃO ESPORTIVA: VEJA COMO UM NUTRICIONISTA PODE APRIMORAR SUA PERFORMANCE

Como o psicopedagogo ajuda nos casos de autismo

Existem três procedimentos utilizados pelo psicopedagogo para ajudar no tratamento de pacientes com autismo:

  • Modelagem: tem como objetivo reforçar de maneira diferencial as respostas que mais se aproximam do que está sendo pedido. No começo, é fundamental reforçar positivamente as respostas próximas do esperado. Para assim, gradativamente, auxiliar no refinamento da resposta até a criança conseguir responder de forma correta;
  • Aprendizagem sem erro: outra atitude importante é manter o paciente motivado, oferecendo dicas necessárias para o desenvolvimento do aprendizado;
  • Uso de reforços: ao entender o perfil do paciente, também é possível utilizar itens de preferência da criança para motivá-las na execução das tarefas.
Psicopedagoga realizando atividade lúdica com menina com autismo.

Psicopedagogia e Autismo: uma opção de tratamento

Portanto, o psicopedagogo deve trabalhar com a finalidade de minimizar as limitações e maximizar as potencialidades do paciente. Além disso, deve montar uma intervenção adequada, levando em consideração as características individuais, especialmente devido à oscilação dos níveis de autismo.

VEJA TAMBÉM:

O PAPEL DA FONOAUDIOLOGIA NA COMUNICAÇÃO
ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA: UMA ALTERNATIVA AO ALZHEIMER

Psicopedagogia em Brasília

O IMPI possui especialistas em diversas áreas como psiquiatria, psicologia, neuropsicologia, psicopedagogia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e nutrição.

A psicopedagogia em Brasília do IMPI atua no desenvolvimento de práticas sócio-educativas para auxiliar na aprendizagem de crianças, jovens e pessoas com deficiências, seja um déficit cognitivo ou até mesmo doenças neurológicas, como Síndrome de Down e Autismo.

Postado em Blog, Página Inicial