Encontre seu profissional

Terapia Ocupacional: a importância da prática para deficientes físicos

29 de abril de 2019
Paciente realizando terapia ocupacional em casa.

A Terapia Ocupacional é uma opção de tratamento que tem se tornado cada vez mais importante nos casos de deficiência física. Essa especialização da saúde atua com atividades lúdicas; artísticas; profissionalizantes; de autocuidado; de adequação postural; prescrição de equipamentos; entre outras medidas para explorar a potencialidade de cada paciente, tornando-o mais independente para as atividades do dia a dia.

VEJA TAMBÉM:

NUTRIÇÃO ESPORTIVA: VEJA COMO UM NUTRICIONISTA PODE APRIMORAR SUA PERFORMANCE
O PAPEL DA FONOAUDIOLOGIA NA COMUNICAÇÃO

Como funciona a terapia ocupacional para deficientes físicos

O primeiro passo para uma terapia eficiente é uma avaliação minuciosa do paciente. Ou seja, o terapeuta precisa identificar o perfil da pessoa, para assim, propor atividades que tenham sentido para o assistido, baseando-se em suas necessidades e expectativas. Com essas informações em mãos, o passo seguinte é elaborar os planos de reabilitação e adaptação, sendo que a primeira missão é despertar a autoconfiança no paciente. Para atingir esse objetivo, podem ser feitas sessões individuais, em grupo ou ambas.

A terapia ocupacional para deficientes físicos atua, principalmente, em cima das incapacidades resultantes da própria deficiência e como ela impacta a vida da pessoa (especialmente em relação ao ambiente em que ele está inserido). Dessa forma, uma das principais ações do terapeuta é trabalhar em conjunto com a família da pessoa afetada, fazendo um levantamento dos espaços os quais ela frequenta – seja casa, trabalho, colégio, faculdade, etc.

Portanto, o trabalho desenvolvido com a pessoa com deficiência não considera apenas a sua limitação, mas como esse paciente se relaciona, como está inserido no contexto social, nunca deixando de lado a sua individualidade.

O terapeuta ocupacional ajuda na adaptação do deficiente físico em sua residência

O terapeuta ocupacional também participa da adaptação do paciente em sua residência. Inegavelmente, pequenas modificações podem facilitar a rotina do indivíduo. Portanto, o profissional avalia a funcionalidade do deficiente dentro de sua própria casa ou local de trabalho, com a finalidade de evitar qualquer tipo de complicação.

Para ilustrar: para um cadeirante, é fundamental a instalação de rampas, além de portas e corredores mais largos. Assim como os móveis devem ter cantos arredondados para evitar acidentes; tomadas e interruptores precisam ser adequados a altura do deficiente; deve-se analisar altura de pias, fogões e mesas. O banheiro também demanda cuidados especiais, como piso antiderrapante e barras de apoio.

Pessoa com deficiência física usando cadeira de rodas e terapia ocupacional.

Terapia ocupacional: uma ótima opção para pessoas com deficiência física.

Portanto, ao realizar esse trabalho, o terapeuta ocupacional não visa apenas seguir normas técnicas e de segurança. O objetivo permitir que o deficiente físico desfrute da melhor forma do espaço em que se encontra, transformando a residência em um lugar acolhedor, agradável e seguro.

VEJA TAMBÉM:

PSICOPEDAGOGIA E AUTISMO: UMA OPÇÃO DE TRATAMENTO
PSICOMOTRICIDADE: COMO ELA PODE AJUDAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Terapia Ocupacional em Brasília

O IMPI possui especialistas em diversas áreas como psiquiatria, psicologia, neuropsicologia, psicopedagogia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e nutrição.

A terapia ocupacional em Brasília do IMPI atua no desenvolvimento da autonomia de crianças, jovens, adultos e idosos com deficiências cognitivas ou físicas, além de auxiliar na recuperação de doenças neuropsicológicas como Alzheimer e Parkinson.

Postado em Blog, Página Inicial